Características necessárias

Com relação à bagagem cientifica necessária, além da matemática e da física, que são básicas, um cientista atmosférico ou da Terra precisa de bons fundamentos de química, principalmente em mineralogia e petrologia.

Imaginação, criatividade e vontade de encarar desafios são características desejáveis. Estes profissionais precisam ter espírito observador e crítico na coleta de dados de campo e gostar de atividades de laboratório, sendo criteriosos e meticulosos no tratamento dos dados coletados. Têm que gostar de estudar.

Uma questão evidente: gostar de viajar, para visitar diversos tipos de terreno e comparar as formações de cada local, para confirmar semelhanças ou apurar distinções. Foi por este motivo que os primeiros congressos científicos que ocorreram, no final do século 19, foram os congressos internacionais de geologia, que tinham como objetivo levar profissionais de outros lugares do mundo para conhecer o terreno do país onde estava sendo realizado o evento. E os geólogos iam aos congressos justamente para ver ao vivo aquilo que até então só tinham estudado em livros.

Ter curiosidade e gostar do contato direto com a natureza são requisitos significativos. É importante gostar do trabalho de campo. Nem todos os profissionais da área precisam deste recurso, mas para a maioria é fundamental. É famosa a frase usada na geologia, “vá e veja”. Estes cientistas devem ter gosto pela aventura.

Para que essa atividade seja proveitosa, é preciso que cada indivíduo seja realmente parte do grupo, tenha habilidade para trabalhar em equipe. Muitas vezes o trabalho de campo exige acampamentos em regiões inóspitas, sem recursos básicos de conforto, ou embarcados em plataformas. Para enfrentar esses períodos é necessário ter uma equipe muito bem entrosada. E o diretor da expedição tem que ter capacidade de liderança, porque o comportamento humano torna-se mais instável em situações adversas.

A liderança também é importante no laboratório, porque ninguém faz um mapa, por exemplo, sozinho – é algo construído a várias mãos. É preciso haver confiança mútua entre os membros da equipe que garanta a veracidade das informações. E uma equipe de laboratório envolve outros especialistas, como profissionais de informática, de fotografia, de ótica, de desenho, curadores de coleção, preparadores de lâminas.

O espírito de solidariedade é fundamental, porque quase tudo hoje em dia é produzido em equipe. Excesso de competitividade atrapalha o progresso científico. A honestidade e, consequentemente, a ética, são características muito importantes para a consolidação de um trabalho de qualidade nas ciências atmosféricas e da Terra e, na realidade, em todas as ciências. As observações no trabalho de campo são individuais: se o cientista inventar, todo o trabalho fica comprometido.

A importância científica de todo esse trabalho é traduzida em acervos e publicações. Um mapa geológico, por exemplo, é uma publicação importante porque resume às vezes em uma página todo o conhecimento que se tem sobre a geologia de um determinado local naquele momento. Esse conhecimento possibilita ao país gerenciar seu subsolo, onde estão as suas riquezas minerais.